A contribuição feminina para a Medicina começa muito antes de existir o Dia Internacional da Mulher e da revolução feminista. Conheça as mulheres que fizeram muito pela Medicina e ajudaram a construir um mundo mais saudável e mais igualitário:

1 Hildegard de Bingen (1098-1179)

Durante a idade média, mulheres se instruíram majoritariamente em conventos e foi como abadessa que Hildegard de Bingen escreveu livros sobre botânica e medicina. Suas habilidades de médica eram conhecidas e frequentemente confundidas com milagres, que a fizeram ganhar até o título de Santa pela Igreja Anglicana.

2 Florence Nightingale (1820-1910)

Na Guerra da Criméia, milhares e soldados morreram por falta de saneamento quando uma doença se espalhou por todos hospital. A enfermeira Florence esquematizou os princípios da enfermagem moderna e dos cuidados com os ferimentos de guerra, salvando inúmeros soldados ingleses da morte. Ao voltar, instituiu primeira escola de enfermagem científica.

3 Elizabeth Blackwell (1821-1910)

 Elizabeth estudou em uma época difícil para mulheres, ela não podia estudar por apenas ser mulher. Depois de várias reprovações, ela finalmente conseguiu entrar em uma faculdade se tornando a primeira mulher a estudar medicina.

4 Marie Curie (1867-1934)

Foi uma das pioneiras no estudo de radioatividade na medicina. Durante a primeira guerra mundial atuou no estudo de radioatividade com relação a raio-x. Ela foi a primeira a ganhar dois prêmios Nobel. Até hoje ela é lembrada e durante sua época, Marie foi um exemplo para outras mulheres entrarem em um mundo que só  pertenci a homens.

5 Florence Sabin (1871-1953)

Florence é conhecida como “a primeira-dama da ciência americana” – ela estudou os sistemas linfático e imunológico do corpo humano. Tornou-se a primeira mulher a ganhar uma cadeira na Academia Nacional de Ciência dos EUA e, além disso, militava pelo direito de igualdade das mulheres.

6 Gerty Cori (1896-1957)

Foi a primeira a ganhar um prêmio Nobel em Medicina. O prêmio foi dado por conta descobertas na área de medicina com a doença diabetes. Em 2004 ela foi novamente homenageada como um marco para química com para o esclarecimento no metabolismo de carboidratos.

7 Cecilia Grierson (1859-1934)

Cecilia nasceu em Buenos Aires e é muito importante para a medicina, já que foi a primeira a mulher a estudar medicina na América do Sul. Além de estudar medicina ela era a favor de movimentos feministas e escreveu um livro sobre cinesiologia, que estudo o movimento do corpo humano.

8 Gertrude Bell Elion (1918 -1999)

A americana criou medicações para suavizar sintomas de doenças como Aids, leucemia e herpes, usando métodos inovadores de pesquisa – seus remédios matavam ou inibiam a produção de patógenos, sem causar danos às células contaminadas. A bioquímica, então, ganhou o prêmio Nobel de medicina em 1988.